Divagando...

Divagando...
Bosque da Princesa em Pindamonhangaba - Foto de Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Meus queridos amigos!

Olá meus queridos amigos, bom dia!
Estive um tantinho ausente, por que tive uma virose,

mas já estou bem graças a Deus.
Tenho uma coisa para falar a vocês todos.
No momento que visito cada um de vocês em seu 
cantinho, é como se eu entrasse na casa de vocês.
Faço cada visita com todo respeito e carinho e fico
a imaginar o rosto, ao vivo de cada um.
Imagino o brilho do olhar...
O toque bondoso de cada mão a cada cumprimento...
O sorriso que estampa em cada face....
Fico aqui a imaginar e dá vontade de conhecer cada um de vocês,
olhar cada olhar...
Sei que isso, pode não ser possível,
mas como para Deus nada é impossível,
fico aqui a sonhar...risos...
É bom sonhar...
Tenho vocês todos em meu coração.
Vocês todos estão em minhas orações a Deus, sempre.
Um abraço fraterno e um beijo no coração e um espetacular dia.
                                Maria Teresa

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Meditando o Evangelho de hoje - Jo 6,44-51

Meditando o Evangelho de hoje
Dia Litúrgico: Quinta-feira da 3ª semana da Páscoa
Evangelho (Jo 6,44-51): «Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o atrair. E eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos Profetas: ‘Todos serão discípulos de Deus’. Ora, todo aquele que escutou o ensinamento do Pai e o aprendeu vem a mim. Ninguém jamais viu o Pai, a não ser aquele que vem de junto de Deus: este viu o Pai. Em verdade, em verdade, vos digo: quem crê, tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. Os vossos pais comeram o maná no deserto e, no entanto, morreram. Aqui está o pão que desce do céu, para que não morra quem dele comer. Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem come deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne, entregue pela vida do mundo».
Comentário: Rev. D. Pere MONTAGUT i Piquet (Barcelona, Espanha)
«Eu sou o pão vivo que desceu do céu»
Hoje cantamos ao Senhor de quem recebemos a glória e o triunfo. O Ressuscitado se apresenta perante sua Igreja com aquele «Sou o que sou» que o identifica como fonte de salvação: «Eu sou o pão da vida» (Jo 6,48). Em ação de graça, a comunidade reunida em torno ao Vivente o conhece amorosamente e aceita a instrução de Deus, reconhecida agora como o ensino do Pai. Cristo, imortal e glorioso, nos faz lembrar de novo que o Pai é o autêntico protagonista de tudo. Os que o escutam e nele acreditam, vivem em comunhão com o que vêm de Deus, com o único que o tem visto e, assim, a fé é o começo da vida eterna.


O pão vivo é Jesus. Não é um alimento que assimilemos, senão que pelo contrário nos assimila. Ele nos faz ter fome de Deus, sede de escutar sua Palavra que é gozo e alegria do coração. A Eucaristia é antecipação da glória celestial: «Partimos um mesmo pão, que é remédio de imortalidade, antídoto para não morrer, para viver por sempre em Jesus Cristo» (Santo Inácio de Antioquia). A comunhão com a carne de Cristo ressuscitado nos faz acostumar com tudo aquilo que desce do céu, quer dizer, receber e assumir nossa verdadeira condição: Estamos feitos para Deus e somente Ele sacia plenamente nosso espírito. 



Mas esse pão vivo não nos fará viver um dia mais além da morte física, senão que nos foi dado agora «pela vida do mundo» (Jo 6,51). O desígnio do Pai, que não nos criou para morrer, está ligado à fé e ao amor. Quer uma resposta atual, livre e pessoal, a sua iniciativa. Cada vez que comemos esse pão, adentremo-nos no Amor mesmo! Já não vivemos para nós mesmos, já não vivemos no erro. O mundo ainda é precioso porque há quem continua amando-o até o extremo, porque há um Sacrifício do qual se beneficiam até os que o ignoram....Fonte internet

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Evangelho do dia - Marcos 16,15-20

Evangelho (Mc 16,15-20): Naquele tempo, Jesus apareceu-se aos onze e disse-lhes: «Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. Eis os sinais que acompanharão aqueles que crerem: expulsarão demônios em meu nome; falarão novas línguas; se pegarem em serpentes e beberem veneno mortal, não lhes fará mal algum; e quando impuserem as mãos sobre os doentes, estes ficarão curados». 

Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu e sentou-se à direita de Deus. Então, os discípulos foram anunciar a Boa Nova por toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra pelos sinais que a acompanhavam».



Jesus aqui nos dá um prêmio imenso, Ele diz:«Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. Eis os sinais que acompanharão aqueles que crerem: expulsarão demônios em meu nome; falarão novas línguas; se pegarem em serpentes e beberem veneno mortal, não lhes fará mal algum; e quando impuserem as mãos sobre os doentes, estes ficarão curados», veja que privilégio, Jesus nos cobre de talentos e nós o que fazemos com eles?
Após ler estra linda passagem evangélica fiquei pensando com o que podemos fazer para tornar este mundo muito melhor.

Claro que não vamos sair por aí fazendo milagres, claro que não, mas se crermos de verdade, poderemos fazer muita coisa boa e as pessoas ao nosso redor mais felizes e o mundo será muito melhor.
Não pretendo aqui fazer uma relação do que cada um de nós pode fazer para melhorar a vida do nosso próximo e deixar o mundo melhor, claro que não, mas pedirei para que cada um de nós leia com atenção com os olhos do coração para o que Jesus nos diz e tiremos nossas próprias conclusões e que tenhamos coragem de agir, pois oração sem ação de nada vale, é inócua.
Que Jesus abençoe cada um de nós e nos dê sabedoria par sermos sempre justos e generosos.
Um abraço e fique com Deus, Maria Teresa

terça-feira, 24 de abril de 2012

Evangelho do dia ( http://evangeli.net/evangelho)

Meditando o Evangelho de hoje

Dia Litúrgico: Terça-feira da 3ª semana da Páscoa
Evangelho (Jn 6,30-35): Eles perguntaram: «Que sinais realizas para que possamos ver e acreditar em ti? Que obras fazes? Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: ‘Deu-lhes a comer o pão do céu’».Jesus respondeu: «Em verdade, em verdade, vos digo: não foi Moisés quem vos deu o pão do céu. É meu Pai quem vos dá o verdadeiro pão do céu. Pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo». Eles então pediram: «Senhor, dá-nos sempre desse pão!». Jesus lhes disse: «Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede».
Comentário: Rev. D. Joaquim MESEGUER García (Sant Quirze del Vallès, Barcelona, Espanha)
«É meu Pai quem vos dá o verdadeiro pão do céu»
Hoje, nas palavras de Jesus podemos constatar a contraposição e a complementaridade entre o Antigo e o Novo Testamento: o Antigo é a figura do Novo e, no Novo as promessas feitas por Deus aos pais no Antigo chegam a sua plenitude. Assim, o maná que os israelitas comeram no deserto não era o autêntico pão do céu, e sim a figura do verdadeiro pão que Deus, nosso Pai, nos deu na pessoa de Jesus Cristo, a quem enviou como Salvador do mundo. Moisés solicitou a Deus, a favor dos israelitas, um alimento material; Jesus Cristo, em troca, se dá a si mesmo como alimento divino que outorga a vida.

«Eles perguntaram: «Que sinais realizas para que possamos ver e acreditar em ti? Que obra realizas?» (Jo 6,30), exigem incrédulos e impertinentes os judeus. Pareceu-lhes pouco o sinal da multiplicação dos pães e dos peixes feita por Jesus no dia anterior? Por que ontem queriam proclamar rei a Jesus e hoje já não acreditam nele? Que inconstante é frequentemente o coração humano! Diz são Bernardo de Claraval: «Os incrédulos andam em volta, porque naturalmente, querem satisfazer o apetite, e desprezar o modo de conseguir o fim». Assim sucedia com os judeus: submergidos em uma visão materialista, pretendiam que alguém lhes alimentasse e solucionasse seus problemas, mas não queriam acreditar; isso era tudo o que lhes interessava de Jesus. Não é esta a perspectiva de quem deseja uma religião cômoda, feita sob medida e sem compromisso?

«Senhor, dá-nos sempre desse pão!» (Jo 6,34): que estas palavras, pronunciadas pelos judeus desde seu modo materialista de ver a realidade, sejam ditas por mim com a sinceridade que me proporciona a fé; que expressem realmente um desejo de alimentar-me com Jesus Cristo e de viver unidos a Ele para sempre.
                http://evangeli.net/evangelho

segunda-feira, 23 de abril de 2012

A eleição está chegando...cuidado.

Conhecemos um líder político ou não, pela obra social que ele pratica e constrói ao longo do tempo.
Colocar em ação, o que discursamos é muito difícil e a grande maioria fica só no “blá, blá, blá” é só prestarmos atenção em alguns que estão por aí a pregar a justiça, a solidariedade, Jesus condena a dominação intelectual (Mt 23,1-12), infelizes daqueles “políticos burocratas”, que rondam nossa sociedade, usando deste poder para manipular e liderar um povo sofrido e que não tem em sua grande maioria acesso, ao trabalho, a educação, a saúde, a moradia, ao lazer, fatores mínimos necessários, para que a pessoa tenha uma vida digna e Jesus, como relata Mateus (23-1), “os doutores da lei e os fariseus, tem autoridade para interpretar a lei de Moisés” e os nossos líderes, creio eu, tenham autoridade para conhecer e interpretar a Lei de Deus e dos homens, e o que fazem com elas?
A maioria a usa em benefício próprio, “esquecendo”, do que prometeram em seus discursos inflamados e eleitoreiros, inócuos e manipulativos... claro que temos grandes líderes, capazes de mudar o rumo da história de um povo e fazem um trabalho social grandioso.
Temos meu povo, de ficarmos atentos, na hora de escolher nossos líderes e não cairmos em armadilhas, em discursos comovedores e mentirosos, temos que eleger o melhor para defender e lutar por nossos direitos, pelos direitos do povo. Fiquem com Deus e que Ele nos abençoe e nos proteja contra lobos em pele de cordeiro.    
                                                    Maria Teresa

quinta-feira, 19 de abril de 2012

"O equilíbrio da vida" - J.S.Nobre

Olá!

Ganhei de uma ex aluna, o livro "Comece o dia feliz" e desde 
então o leio todos os dias, 
logo depois de fazer minhas orações e hoje abri na página 
288 e li o seguinte:
"Faça bem tudo o que tem de fazer.
A perfeição tem duas grandes inimigas: a pressa e a rotina.
A pressa em fazer as coisas sacrifica o zelo em fazê-las bem, 
no afã de ficar livre e passar para a frente. 
os detalhes são abandonados.
A rotina é o fastio da obra a ser feita. É o desestimulo à ação. 
Aliás a rotina é o cupim da vida, consegue destruir aos poucos 
tudo o que ele toca.Será bem feito tudo o que tiver sido feito 
com verdadeiro amor...escrito por J.S.Nobre, do livro "Comece o Dia Feliz"

quarta-feira, 18 de abril de 2012

DEPOIMENTO: MEU PRIMEIRO CONTATO COM OS LIVROS

Meu primeiro contato com os livros se deu muito cedo, nasci rodeada por livros, boa música, pinturas de quadros (papai tinha um ateliê em casa), bordados (mamãe bordava lindamente) e muita religiosidade; caçula de três irmãos homens, temporã de pais na meia idade, fui educada com muito amor e mimo.
Talvez por causa de muito mimo fosse tão levada, subia em árvores, empinava papa-vento, brincava de casinha... Ah, tinha uma casinha em tamanho natural, cabia lá dentro, que saudade... brincava também de bolinhas de gude,era craque, ganhava sempre dos amiguinhos, mas depois devolvia as bolinhas, afinal éramos amigos, mas como disse era muito levada, acho que ainda sou....
E para cada “arte” que fazia, um livro era colocado diante de mim, com figuras lindas e coloridas, alguns feitos por papai, ele desenhava e eu pintava, formando assim um livro e eu inventava as estórias e depois contava para ele ou para a família toda.
Isto era feito de tal forma que não parecia “castigo” e não era eu adorava aqueles livros, talvez fizesse tanta “arte” pra ter mais daqueles livros diante de mim.
Um dia, me lembro muito bem, parece que a cena passa diante de mim e dá uma saudade imensa, depois de uma daquelas “artes memoráveis”, vou contar, é que subi na jabuticabeira e não conseguia descer, e comecei a gritar por vovô, “socorro vovô”... Depois de me acudir, lá vem o papai com um livro, eu mais que depressa digo a ele: “posso fazer um papai”?
Lembro bem, papai se admirou e disse: “pode sim” tinha dificuldade, claro para desenhar, pois era bem pequena, talvez quatro ou cinco anos, desenhei e pintei meu primeiro livro e não parei mais, pena que não tenho nenhum, depois contei pra todo mundo, não lembro também da estória, mas lembro das palmas, as “artes” foram diminuindo e o amor pelos livros aumentando.
O tempo foi passando e aos poucos fui sendo alfabetizada por papai e mamãe e eu já podia colocar letras nas minhas estórias, pena que não guardaram...
Chegou a hora de ir para a escola e lá fui eu, lembro bem, fui toda prosa e como adorava a escola e naquela época eu não gostava de férias, com o tempo comecei a gostar claro, mas nunca mais abandonei os livros, amo ler.
Meu pai foi de grande sensibilidade e grande sabedoria quando escolheu meu primeiro livro com “letras” que foi “Os três pastores de Fátima”, com certeza foi o melhor livro que já li até hoje, tinha sete anos.
Sou muito agradecida aos meus pais e a vovô, pois graças a eles gosto tanto dos livros e de artes em geral.
Tenho consciência que as crianças que por mim passaram para serem alfabetizadas, com certeza, a grande maioria gosta de ler e o faz com prazer.
Hoje continuo sendo uma leitora e creio que por isso tenha certa facilidade para escrever.
Adoro poesias e deixo o coração ditar e minhas mãos copiarem sobre o papel e ou teclado...amo ler e escrever, gosto muito de brincar com as letras.
Um abraço fraterno e Feliz Dia do Livro!
                      Maria Teresa

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Bate papo do dia de Luiz José de Brum

         Bate papo do dia de Luiz José de Brum

     Eu sou o dia, hoje o meu semblante está alegre e toda a natureza se alegra comigo, mas às vezes estou carrancudo, choroso e toda a natureza se entristece e chora comigo.
     É que meu tataravô é um velho que hora está alegre e hora ranzinza e muitas vezes furioso e a minha alegria ou tristeza depende dele.
     O meu tataravô é o tempo, é tão velho como o mundo, quando estou alegre, sorridente, sou um dia de sol seguido de uma noite calma com o céu crivado de estrelas.
     As arvores se dobram suavemente sob o respirar brando do meu tataravô a essa respiração dão o nome de respiro, a essa respiração branda dá-se o nome de brisa.
     Outras vezes sou um mal dia por que o meu tataravô está enfurecido, respira forte, soprando com furor derrubando tudo, bufa, uiva, ruge como uma fera.
     As árvores sob sua fúria dobram-se e quebram-se, as casas são destruídas e destelhadas. Dá a respiração estertorosa e violenta o nome de furacão.
     A minha vida é de pouca duração é limitada pelo giro que a terra faz em torno do seu eixo.
     Há tempos remotos os homens só conheciam as duas fases principais de minha vida, o nascer e o por do sol.
     Aí inventaram de espetar uma vareta no chão, cuja sombra marcava a minha idade, muito mais tarde inventaram um aparelho que cheio de areia que colocado de cabeça para baixo ia escoando a areia a fim de determinar a minha idade, mesmo que meu tataravô estivesse zangado e não deixasse o sol sair.
     Por fim inventaram uma peça mecânica que deram o nome de relógio, o qual fazia aquele que fazia o trabalho com mais precisão, marcando as minhas vinte e quatro horas.
     Como vêem tenho uma vida curta, entretanto posso ficar imortal e com isso imortalizar o meu pai, o mês e o meu avô o ano, basta para isso que um fato histórico ou o nascimento de um homem que se tornou famoso pelos seus feitos, se dêem no período da minha existência, assim como a Proclamação da República e o dia 15 ficou imortal e imortalizou o seu pai Novembro e o seu avô 1889 também ficou imortal.
     Também costumo ficar imortal quando algum poeta ou escritor aplica o meu nome nas suas obras e fica imortal, também o meu pai o mês e muitas vezes ficam também imortais os meus tios, a primavera, o verão, o inverno e raramente o outono.
     Eles fazem assim: “naquele dia triste de inverno...” ou então “naquela tarde alegre de primavera...” ou ainda “naquele dia de verão afogadiço...”
     Só não é muito lembrado o meu tio outono, por ser um sujeito indiferente, pois não é frio e nem quente.
     É assim a minha curta existência, vou parar por aqui por que o meu tataravô o tempo voa veloz e temo que me deixe em dificuldade para mais explicação, salvo se acontecesse como naquele fato bíblico em que a pedido de Josué, o dia teve maior duração e então eu poderia bater mais um pouco de papo...escrito por Luiz José de Brum, meu querido pai, na década de sessenta.
        

           


domingo, 15 de abril de 2012

Bom viver

Hum, como é bom viver a vida com responsabilidade e alegria!
Mas a vida é curta para ser vivida com intolerância, com mau humor e estupidez como tenho visto por aí.
A vida é para ser vivida como se fosse um desabrochar de uma rosa, lentamente.
Como o despertar do girassol, que se espreguiça todo até ficar olhando para o sol, para melhor aproveitar a sua vida.
Viver a vida como se ela fosse uma sinfonia de pássaros matinais e se prestar atenção ouvirá uma sinfonia diferente a cada amanhecer, é só não ter pressa e ouvir, porque os pássaros estão lá a cada amanhecer.
Viver a vida sempressa alguma por que a pressa não deixará experimentar o doce sabor que ela oferece a cada dia e olha, ela oferece sabores diferentes e crescedores de se viver.
Viver a vida como se não houvesse noites e só dias  e dias de sol.
Então faça da noite do viver o mais lindo dia de sol!
       Um abraço, Maria Teresa

domingo, 8 de abril de 2012

Aleluia!

Que alegria Jesus ressuscitou!
Aleluia!
Que alegria Jesus está vivo!
Aleluia!
Que alegria Jesus está no meio de nós!
Aleluia!
Que alegria Jesus está sorrindo dentro do nosso coração!
Aleluia!
Que alegria viver a Páscoa do Senhor Jesus!
Que alegria Jesus está dentro dAleluia!
Feliz Páscoa a todos vocês meus querido amigos!
Aleluia!
Feliz Páscoa do Senhor Jesus!
Aleluia!Aleluia!
   Um abraço carinhoso de Maria Teresa e José Carlos

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Páscoa do Senhor!

Páscoa!
“Páscoa (do hebraico Pessach, significando passagem através do grego Πάσχα) é um evento religioso cristão, normalmente considerado pelas igrejas ligadas a esta corrente religiosa como a maior e a mais importante festa da Cristandade. Na Páscoa os cristãos celebram a Ressurreição de Jesus Cristo depois da sua morte por crucificação (verSexta-Feira Santa) que teria ocorrido nesta época do ano em 30 ou 33 da Era Comum. A Páscoa pode cair em uma data, entre 22 de março e 25 de abril. O termo pode referir-se também ao período do ano canônico que dura cerca de dois meses, desde o domingo de Páscoa até ao Pentecostes.
                     (((((Pesquisa na Internet)))))

Queridos amigos quero desejar a cada um de vocês
e a todos que vocês amam a melhor Páscoa da vida de vocês.
Que seja perfeita na paz.
Que seja perfeita no amor.
Que seja perfeita na união.
Que seja perfeita no carinho.
Que seja perfeita na ternura.
Que seja perfeita no respeito.
Que seja perfeita na saúde.
((que tanto se falou por toda quaresma))
Que seja perfeita na solidariedade.
Que seja perfeita na alegria.
Que seja perfeita na comunhão com os irmãos.
Que seja perfeita na comunhão com Cristo.
Que seja perfeita no brinde com a família.
             Um beijo no coração de vocês,
             de  Maria Teresa e José Carlos

quarta-feira, 4 de abril de 2012

O que sinto sobre a Semana Santa, desde sempre


No Domingo de Ramos Jesus foi aclamado Rei quando entrou em Jerusalém montado em um burrinho e o povo gritava: ”Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor! Bendito seja o reino que vem o reino de nosso Pai Davi! Hosana no mais alto dos céus!” (Mc 11, 9-10)
Jesus foi aclamado Rei pelo povo de Jerusalém!               
Na segunda feira o Evangelho de João nos revela que Jesus foi a Betânia, ofereceram aí um jantar a Ele e Maria lavou os pés de Jesus com um perfume de nardo puro e depois os enxugou com seus cabelos e foi criticada por Judas, dizendo que era para ela vender o perfume e dar o dinheiro aos pobres, disse isso, não por que era bom e justo, mas sim por que era ladrão e por certo ia se oferecer para vender e distribuir aos pobres e claro ficaria com o dinheiro todo.
Jesus mandou que ele deixasse Maria em paz e disse: “ela guardou este perfume para o dia da minha sepultura, pobres sempre os tereis, mas a mim nem sempre tereis” (João, 12,21).
Na terça feira o Evangelho de João nos revela Jesus falando que um dos seus discípulos o trairá. (João, 12,21).
Na quarta feira o Evangelho de Mateus, 26,14 mostra Judas Iscariotes combinando o valor da taição com os chefes dos sacerdotes.
Neste mesmo dia ao final da tarde os discipulos e Jesus se reunem para ‘comerem a Páscoa’ e nessa ceia Jesus repete que um dels o trairá.
A Eucaristia é instituída nesta ceia de Páscoa. (Mt 26,26-29).
Na quin ta feira João continua o relato de Mateus nos contando como Jesus nesta última ceia lava os pés de seus discipulos e os beija depois de lavar e disse: ”Em verdade vos digo, o servo não é maior do que o seu senhor, nem o enviado maiuor do que quem o enviou”. (João 13,16).
Chega à pior hora para Jesus, chega à hora de Jesus pagar em nosso lugar os nossos pecados, com morte de cruz. (João 18,1-19,42)
Não existe amor maior que o de Jesus, que se entregou a morte de cruz, por nós pecadores. 
Jesus é julgado, condenado por nenhum crime.
Morreu na cruz para nos salvar, para nos libertar do pecado original.
Meu coração contrito está.
O mesmo povo que o aclamou “Rei” gritou “Crucifica-O”.
Sásbado!
Aleluia!
Jesus ressuscitou!
Que alegria, no terceiro dia Jesus ressuscitou dos mortos.
As mulheres foram ao túmulo para ungir Jesus, se espantaram com o tumulo vazio e um anjo que lá estava disse: ”Jesus ressuscitou” (Mc 16,6) e elas sairam correndo e não contaram a ninguém por medo.
Domingo – Grande Dia a Páscoa do Senhor (Lc 24, 13-35)
O texto a seguir é de ALEXANDRE SOLEDADE
“Um dos discípulos de Emaús era o pai de Judas Tadeu e Tiago, ambos os apóstolos. O que impedia, segundo estudos recentes, o próprio tio de Jesus de reconhecê-lo pelo caminho? O que nos impede ainda de ver a Jesus?
Tristeza, a falta de fé, a descrença, o orgulho, a vaidade, o desamor, a perca da esperança, a decepção, a ansiedade, a urgência, (…) nos cobrem os olhos a graça da presença de Jesus em nosso meio. “(…) Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus chegou perto e começou a caminhar com eles, mas alguma coisa não deixou que eles o reconhecessem”. Em virtude disso, e de outros fatores, deixamos de ver Deus a nos cercar e também de vê-lo no irmão ao nosso lado.
Algo brotou nessa reflexão: O quanto sou igreja? Consigo ver no irmão de outra pastoral ou movimento a face de Jesus? Consigo ver no irmão que perambula pela rua a imagem do seu Senhor? Sou igreja ou uma identidade? Parecem perguntas desconexas, mas tem muito haver com a reflexão.
Alguns movimentos e pastorais sucumbem ou sofrem por falta de humildade. Muitos, como os discípulos de Emaus, andam com o Senhor, mas não o reconhecem. Esquecem que são igreja se apegando a uma identidade pastoral. “Batem no peito” o nome do seu grupo ou movimento, esquecendo o principal: ver Jesus, a própria cabeça da igreja. Assim sucumbiu a teologia da libertação.
Essa cegueira, como dos discípulos de Emaús, tem sinais bem clássicos:
Marcam reuniões nos horários de missas e celebrações, não participam e tão pouco ajudam nas festas comunitárias; não acatam ou aceitam regras de horários; nas missas esquecem da liturgia, não ajudam na campanha da fraternidade, no natal, no advento; não fazem ações sociais; mas no quesito CRITICA, mas como o fazem bem! (risos).
Criam-se leis e a elas se acorrentam
“(…) Digo mais isto: enquanto é menor de idade, o filho que vai herdar a propriedade do pai É TRATADO COMO ESCRAVO, MESMO SENDO, DE FATO, O DONO DE TUDO. Enquanto é menor, há pessoas que tomam conta dele e cuidam dos seus negócios até o tempo marcado pelo pai Assim também nós, antes de ficarmos adultos espiritualmente, fomos escravos dos poderes espirituais que dominam o mundo. Mas, quando chegou o tempo certo, Deus enviou o seu próprio Filho, que veio como filho de mãe humana e viveu debaixo da lei para libertar os que estavam debaixo da lei, a fim de que nós pudéssemos nos tornar filhos de Deus”.(Gálatas 4, 1-5)
Mesmo sendo tão IMATUROS vemos Jesus neles, pois ainda não sabem que são os donos de tudo.
Esse evangelho nos apresenta uma vacina ou um alerta: Mesmo caminhando com Jesus, sendo seu próximo, estudando sua Palavra, sem a divina sensibilidade e a docilidade em ouvir não conseguiremos reconhecê-lo. Preciso rever minhas falas e meus conceitos sobre ser igreja. Será que ficar só numa sala rezando é ser igreja? Será que fazer uma ação social sem rezar é ser igreja? Em ambos os casos, é e não é!
Achei o máximo frei Faustino (referencia em liturgia da CNBB) dizer que receber a eucaristia sem meditar a consequência do nosso pecado “como” e “na” comunidade torna nossa comunhão incompleta. Sou santo, mas não me misturo; vou à igreja todos os dias, mas não mudo minha forma de lidar com as pessoas… É preciso rever isso!
Nossa arquidiocese, em virtude do congresso eucarístico, tem vivido esse evangelho sob a perspectiva do Jesus Eucarístico que por muitas vezes não é reconhecido. Trazendo essa ótica do frei Faustino, como posso reconhecer Jesus se fecho os olhos ao irmão, a comunidade, ao que precisa?
Sim, parece utopia, mas busquemos completar o gesto eucarístico com ações, e de forma concreta a começar em nós”.    Escrito por ALEXANDRE SOLEDADE – Pesquisa no Google

Minha simples coclusão:
É muito triste ver tudo que Jesus passou, mas quantas e quantas vezes nós aclamamos Jesus durante a Santa Missa e quando saímos de lá, já começamos a crucificá-lo de novo?
Será que cada um de nós está vivendo o Evangelho de Jesus fora da Missa?
Como está sendo para cada um de nós vivermos a Liturgia fora dela?
Somos agradecidos verdadeiramente pela Misericórdia de Jesus quando Ele morreu por cada um de nós, para nos libertar?
Sempre me questiono assim.
Para ser sincera, preciso melhorar e muito, não é fácil viver a Palavra de Jesus, mas continuarei a tentar vivê-la todos os dias.

Desejo a todos uma Santa Páscoa no renascer no amor, na paz de Jesus.
                                        Maria Teresa 






                

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Semana Santa

Como está no Evangelho de João 12,1-11, que seis dias antes da Páscoa Jesus foi
a Betânia a uma ceia em sua homenagem e ali estavam Marta, Maria e Lázaro entre outras pessoas mais.
Marta servia os convivas e Maria ficou comn a melhoir parte, foi lavar os pés de Jesus com um bálsamo muito cheiroso e depois os secou com seus cabelos.
Judas Escariotes, malicioso que era disse assim, ‘porque não vendestes este perfume e deu o dinheiro aos pobres’?
Ele falou isso não por que era bom, mas por que era ladrão e roubava tudo que estava ao seu alcance.
Jesus com toda sua bondade diz, ‘pobres sempre tereis por perto, mas eu não, a deixai em paz, ela guardou este perfume para o dia da minha sepultura’.
Por que falei tudo isso?
Por que esta semana e claro todas as outras devemos tratar nosso irmão com o mais puro dos bálsamos, devemos lavar seu coração e tirar de lá toda dor, é isso que Jesus espera de cada um de nós, que sejamos misericordiosos como Ele foi conosco, morrendo por nós, morte pela cruz.
Que cuidemos do nosso próximo como cuidamos de nós mesmos.
Que nosso amor pelo próximo seja igual ao amor que temos por nós mesmos.
Que nosso respeito pelo próximo seja o mesmo que queremos que tenham por nós.
Que nosso carinho pelo próximo seja o mesmo que queremos que tenham por nós.
Que nosso peso em julgar seja o mesmo que julgamos a nós mesmos e que nunca tenhamos dois pesos e duas medidas.
O bom mesmo é não julgar, deixemos isso para Jesus que é absolutamente justo, Ele sim julga com justiça abslouta.
Que esta Semana seja Santa de verdade para cada um de nós, claro que não é fácil, mas vamos tentar, Jesus já ficará feliz com nossa tentativa e sua cruz ficará bem mais leve, vamos ajudar a Jesus carregar sua cruz com nossos pecados,vamos cada um de nós ser o seu Cirineu.
Um abraço e feliz semana, Maria Teresa
 (((((((IMAGEM DA NETT))))))))

domingo, 1 de abril de 2012

Semana Santa

Que nos permitamos viver esta semana com santidade e respeito e todas as outras que seguirem.
Feliz Semana Santa!
                   Maria Teresa

Mimo de Gracita

Delicadeza de Roberta Maia

Como é bom viver...

Hum, como é bom viver a vida com responsabilidade e alegria!
Mas vida é curta para ser vivida com intolerância, com mau humor e estupidez como tenho visto por ai.
A vida é para ser vivida como se fosse um desabrochar de uma rosa, lentamente. Como o despertar do girassol, que se espreguiça todo até ficar olhando o sol, para melhor aproveitar a sua vida.
Viver a vida como se ela fosse uma sinfonia de pássaros matinais e se prestar atenção ouvirá uma sinfonia diferente a cada amanhecer, é só não ter pressa e ouvir, porque os pássaros estão lá a cada amanhecer.
Viver a vida sem pressa alguma porque a pressa não deixará experimentar o doce sabor que ela oferece a cada dia e olha, ela oferece sabores diferentes e crescedores de se viver.
Viver a vida como se não houvesse noites e só dias e dias de sol.
Então faça da noite do viver o mais lindo dia de sol!!

Arte: Émilie Munier
Autoria: Maria Teresa

Palavras da autora: “...nasci rodeada por livros, boa música, pinturas de quadros (papai tinha um atelier em casa), bordados (mamãe bordava lindamente) e muita religiosidade, caçula de três irmãos homens, temporã de pais na meia idade, fui educada com muito amor e mimo......adoro poesia e deixo o coração ditar e minhas mãos copiarem sobre o papel e ou teclado...amo ler e escrever, gosto muito de brincar com as letras...”

Maria Teresa tem dois Blogs:
Blogs lindos, cheio de declarações de amor( a seu marido) e muita paz!!!
Conheçam!!!

- Minha querida Maria Teresa, sua base familiar refletiu na linda mulher que é, apesar de conhecer apenas virtualmente, sinto sua energia BOA daqui!
Aqui é seu selinho destaque querida, fique à vontade para leva-lo:


Beijinhos Iluminados e Agradecidos!!

11 Comentários:

  1. Ahhhhhh como é bom VIVER!

    Aproveitar cada momento de sorriso nos lábios!

    Ahhhh como é bom VIVER

    Post inspirador Roberta!
    Amei

    :)

    Responder
    Respostas
    1. An@, sorriso nos lábios, adorooooo...!!!
      Beijinhos Iluminados!!!

      Muita Luz!!

  2. Bom dia Roberta, Parabéns a Maria Tereza pela doçura e sensibilidade, viver a vida sem pressa hoje em dia é um desafio que todos nós deveriamos querer vencer! Ótimo dia! Bjoooooss

    Responder
    Respostas
    1. Kellen,os blogs de Maria Teresa são cantinhos onde ela mostra sua paixão pelo marido e a vida!!!

      Lindo Dia!!!

  3. Conheço os blogs da Maria Tereza e são lindos sempre!!beijos às duas! chica

    Responder
    Respostas
    1. Chica, são lindo nê?!AMO DE PAIXÃO!!!
      São muito transparentes...claros!!!

      Beijinhos Iluminados!!!

  4. Querida Roberta, nem sei como fazermos para agradecer, ficamos deveras muito emocionados.
    Ficou linda sua postagem, trouxemos conosco o lindo selo que nos presenteou.
    Agradecemos do fundo do coração e seja sempre muito feliz e abençoada, que sua vida seja repleta de luz e muito amor sempre...beijos nossos no coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Teresa, obrigada você por ter dado a permissão para que uma de suas obras estivesse aqui no Blog Luz!!!
      Fico imensamente feliz que tenham gostado!

      Beijinhos de Luz no coração do casal!!!
      Bençãos Plenas!!

  5. É isso mesmo, como é bom viver e aproveitar de todas essas coisas maravilhosas que a vida tem para nos oferecer. Ás vezes nem damos conta que estão mesmo pertinho de nós :)
    Linda mensagem, os meus Parabéns à autora!
    Beijiinhos

    Responder
  6. Olá! Tudo diferente e belo por aqui! Adorei as imagens de muita paz...e harmonia e o texto da Maria Tereza perfeito...vou conhecer...
    Parabéns Roberta!
    Bjs e que seu dia seja ótimo, com paz e bons pensamentos!
    CamomilaRosa

    Responder
  7. Olá Roberta,

    Conheço a Maria Tereza. É uma amizade recente, mas já pude constatar a beleza e sensibilidade de sua alma. Seus blogs são excelentes.

    O texto é lindo. Um convite à arte de bem viver.

    A ilustração ficou encantadora com a arte de Émilie Munier. Parabéns pelo bom gosto!

    Beijos.

    Responder